BOM DIA

BEM VINDOS AOS BLOGS DOS

INTERNAUTAS MISSIONÁRIOS

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS, MAS RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES. CRISTÃS OU NÃO.

CATEQUESE PELA INTERNET

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PESQUISAR NESTE BLOG - DIGITE UMA FRASE DE QUALQUER EVANGELHO

28 de nov de 2009

A Anunciação.

08 de dezembro terça

(Marcos 12,35-37)

O anjo de Deus apareceu inesperadamente e disse a Maria que ela ia ter um filho pelo poder do Espírito Santo, e isso iria acontecer porque para Deus nada é impossível. Sendo Assim, Jesus não é filho de José, nem tão pouco de Davi, como muita gente acredita. Jesus é filho de Deus pelo poder do Espírito Santo.

Da mesma forma que nos acostumamos dizer que acreditamos e amamos com o coração, o povo hebreu se acostumou a dizer que Jesus era filho de Davi. E no evangelho de hoje, Jesus desfaz este engano baseando-se no texto de um salmo escrito por Davi (Sl 110,1). Deus e seu ungido (Jesus) são chamados de "senhor" pelo salmista Davi. Assim este ungido, com o qual é identificado Jesus, é senhor e não filho de Davi. Foi por isso que Jesus disse: “Ora, se o próprio Davi o chama Senhor, como então é ele seu filho?”

É assim, às vezes nos acostumamos a afirmar certas coisas sem mesmo questionar se é certo ou errado só porque a tradição cultural foi passando de boca em boca até chegar até nós.

Jesus Filho de Davi, é uma expressão popular oriunda da tradição judaica, em homenagem ao grande líder Davi. Acontece que a tradição messiânica aguardava a vinda de um ungido (messias, do hebraico; cristo, do grego) igual ao antigo rei Davi, que era chamado "filho de Davi". Esse Messias seria um líder patriota que traria aos judeus a glória e o poder como fez o rei Davi, o grande chefe de um império. Portanto, Filho de Davi, é só uma maneira de se expressar, que não corresponde à realidade.

Maria é mãe de JESUS, que é Deus, e provou isso pelos milagres. Se Deus é nosso Pai, então Maria é nossa mãe. Mais infelizmente, tem gente que acha que Maria é uma mulher qualquer, e que não tem nenhuma importância. Mais que absurdo! Isto é uma grande afronta, uma grande ofensa ao seu Filho, Jesus. Como pode alguém dizer que ama você, mais odeia sua mãe? É uma grande incoerência! Para não dizer, uma grande burrice!

Não dá para entender o ódio que alguns irmãos que se dizem cristãos, têm pela mãe de Jesus. Roguemos a Jesus para Ele perdoe esses nossos irmãos e que os esclareça sobre este grande equívoco.

Prezados irmãos. Mãe é mãe! Não podemos ignorar a importância de Maria na História da Salvação. Deus quis se fazer homem, nascendo de uma jovem virgem, que foi escolhida pelas suas qualidades, pela sua pureza, pela sua inocência. Só não vê isso quem odeia a Igreja Católica, e procura sempre um item de questionamento para nos atacar. Que coisa feia! E tais pessoas ainda se dizem cristãs, autênticas e crentes em Deus.

Maria, a escolhida por Deus para a implantação do projeto de Deus no Mundo, é uma criatura digna de todo o nosso respeito. Se eu digo que sou cristão, seguidor de Jesus Cristo e odeio a sua mãe, eu não passo de um hipócrita, fingido e ignorante.

Sal.

A cura do paralítico.

07 de dezembro- segunda

Lc 5,17-26

O poder do Senhor estava com Jesus para que ele curasse os doentes.

Não só para curar os doentes, mais para nos libertar das injustiças, tentações, e principalmente dos pecados. O poder de Jesus é ilimitado, assim como o poder do Pai. Porque a Ele foi dado todo o poder no Céu e na Terra.

Assim, o evangelho de hoje nos traz mais uma grande demonstração de poder de Jesus Cristo. E os fariseus que sempre estavam na “cola” de Jesus para apanhá-lo em algum deslize, questionam o seu poder.

No tempo de Jesus, a doença era um castigo associada aos pecados da pessoa e representava uma impureza. É por isso que Jesus primeiro perdoa os pecados daquele homem, para depois então curá-lo. Ele fica admirado pela fé tanto do paralítico como do grupo que o carregava, e diz-lhe que os seus pecados estão perdoados. Primeiro Ele faz uma purificação, para que, segundo a Lei, o paralítico mereça ser curado. Porque Jesus respeitava a Lei e os costumes ou a cultura daquele povo. Os fariseus e mestres da Lei acusam-nO de blasfêmia, pois acreditavam que só Deus tinha o poder de perdoar os pecados segundo a Lei vigente . Por isso eles pretendiam condená-lo. A cura do paralítico é sinal do poder de Jesus, do perdão dos pecados, que é fruto do seu amor misericordioso.

Reparem que os líderes judaicos não pronunciaram nenhuma palavra. Eles somente pensaram. Mais como Jesus é Deus, Ele viu ou ouviu os seus pensamentos.

“ Jesus, penetrando-lhes os pensamentos, perguntou-lhes: "Por que pensais mal...?”
Para que saibais que o Filho do Homem tem na terra o poder de perdoar os pecados: Levanta-te - disse ele ao paralítico - toma a tua maca e volta para tua casa."

Vamos aqui nos deter em três pontos de reflexão deste evangelho: Jesus demonstra o seu poder de cura, o poder de estar vendo os nossos pensamentos, e a repreensão aos fariseus por terem feito um julgamento. “Quem ele pensa que é, para perdoar pecados?” Essa é uma atitude típica de quem está com ciúmes, com inveja de outra pessoa de igual categoria, ou do seu nível, por ela estar fazendo uma coisa que nós gostaríamos de estar fazendo em seu lugar, como às vezes acontece na própria paróquia. Eu entro na igreja e lá no altar está um colega fazendo a celebração. Qual é a minha atitude? Ei! Por que eu não estou lá? Porque eu não posso fazer celebração também? Quem ele pensa que é para fazer celebração? Infelizmente existe ciúmes e inveja até nos lugares mais santos, porque somos pessoas pecadoras. E isso às vezes atrapalha, emperra o bom andamento das pastorais, e da evangelização.

Quanto a Jesus ver ou ouvir os nossos pensamentos, precisamos tomar mais cuidado, pois estamos pecando direto por pensamentos. E até consideramos serem santos pensamentos, como, naquele dia em que pensamos ser mais santos que aquela pessoa. Isso não é o cúmulo do absurdo? Pois acontece. Um exemplo: Uma pessoa santa, talentosa, de muita fé, e conhecimento da doutrina da Igreja, enfrenta muitas dificuldades para se engajar em uma determinada comunidade, simplesmente por inveja ou ciúmes dos que fazem parte do centro de decisões, ou da coordenação. Sinto que estou me repetindo em algo que já escrevi em reflexões anteriores. Mais acredito que certas coisas muito importantes da nossa vida devem ser repetidas, refletidas para serem eliminadas ou corrigidas.

Sal.

A CURA DOS DOIS CEGOS

04 de dezembro – sexta-feira

PRIMEIRA LEITURA - Isaías 29, 17-24

Profecia de salvação. Sob alguns as­pectos, o otimismo predominante dessa profecia está mais próximo em espírito do Segundo Isaías do que de Isaías de Jerusalém (compare 29,18 e 42,7). Contudo, muito do que ela antecipa diz respeito à reforma interna de Judá, em especial o extermínio dos governantes presunçosos. O tema segue bastante bem os vv. 9-16. Pode ser que um oráculo original de Isaías fosse remodelado pelo redator para ser o oposto dos oráculos negativos dos vv. 9-16.

EVANGELHO - A CURA DOS DOIS CEGOS

Mateus 9, 27-31

Credes que eu posso fazer isso? Sim, Senhor, responderam eles. Então ele tocou-lhes nos olhos, dizendo: Seja-vos feito segundo vossa fé.

É óbvio que Jesus sabia como ninguém, o que aqueles dois cegos queriam, e como eles confiavam no seu poder infinito de cura. Mais Ele quis ouvi-los.

Jesus sabe tudo o que nós estamos precisamos, mesmo antes de pedirmos. Sabe de tudo o que se passa na nossa mente. Mas Ele quer ouvir a nossa oração pedindo, agradecendo, e louvando. Cristo insistiu por várias vezes através da palavra e do exemplo, que nós, seres limitados, fracos e incompletos, precisamos recorrer a força, proteção e à graça de Deus a toa hora. E devemos recorrer a Deus principalmente para que tenhamos a sua força para vencer as constantes tentações do demônio.

Do mesmo modo, Jesus não precisa de nós para nada, principalmente na evangelização. Mais Ele quis contar com a nossa colaboração, com o nosso trabalho de continuar a sua missão e a missão dos discípulos. Levar a palavra de Deus, para aqueles que ainda não a conhecem. Isto é uma honra muito grande para nós. Já pensou? Ser um continuador do trabalho do Mestre? É muito para a nossa cabeça! Fala sério! Devemos nos sentir muito honrados com a escolha, com o chamado de Cristo. Mais que esta sensação de importante não nos faça sentir melhor que ninguém. Pelo contrário. Isso porque fomos escolhidos para servir a Deus e ao irmão. A humildade, portanto, deve ser a nossa característica principal.

Jesus também não precisa do nosso dinheiro. Ele poderia, por exemplo, fazer com que os vigários acertassem na Mega-Sena e todo problema financeiro das Paróquias estivesse terminado. Mais Deus quis contar com mais uma participação da nossa parte, para dar continuidade aos esforços dos primeiros iniciadores da Igreja. Ele quer ver, principalmente, a nossa atitude ao ofertar uma parte do nosso dinheiro. Ou seja, com que disposição nós faremos as ofertas. Se de boa vontade, ou de má vontade. Se for de má vontade ou para nos exibirmos, é melhor nem fazer nenhuma oferenda. Lembremos daquela viúva que deu apenas umas moedinhas, mais o fez de todo o seu coração.

Tudo isso é motivo de alegria para nós, o fato de Jesus querer a nossa participação ativa na construção de um Mundo melhor, na participação na construção do Reino de Deus que está sendo providenciado aqui nesta vida, e que e deve iniciar dentro de cada um de nós.

Sal

==================================================

EVANGELHO – OUTRO COMENTÁRIO -

Mt 9,27-31 - A cura dos dois cegos. ( Jailson Ferreira)

No Capítulo 9 do Evangelho de Mateus, Jesus realiza diversas curas. Hoje a igreja nos leva a refletir sobre a cura de dois cegos. Sempre que o Evangelho nos traz uma cura, é na intenção de que pensemos sobre como essa cura pode acontecer na nossa vida. E a de hoje apresenta algumas particularidades interessantes...

O Evangelho começa dizendo que os dois cegos saíram no encalço de Jesus, gritando no meio da rua: "Tem piedade de nós, filho de Davi!" E Jesus, mesmo ouvindo, se dirigiu para casa, e os dois cegos conseguiram entrar na casa e se aproximar dEle. Imagine a dificuldade desses cegos!!! Com certeza tiveram que ser muito perseverantes!!! Mas mesmo assim, Jesus perguntou: "Vós acreditais que eu posso fazer isso?" Mais uma vez: a FÉ. Mais uma vez: as pessoas vão em busca de Jesus para PEDIR A CURA. E mais uma vez: Jesus cura CONFORME A FÉ DE QUEM O PROCURA... Jesus tocou nos olhos dos cegos e disse: "Faça-se conforme a vossa fé." E os olhos dos cegos se abriram.

Esse Evangelho nos deixa um roteiro para curar nossas cegueiras:

1) Por mais difícil que seja, persevere na busca por Jesus;

2) Acredite que Ele pode lhe curar por completo;

3) Permita que Jesus toque seus olhos;

4) Se esforce para abri-los.

E a última recomendação de Jesus foi específica para o momento em que Ele estava vivendo: evitando chamar atenção para que não fosse executado antes da hora. Hoje, precisamos dos testemunhos das curas que Jesus realizou e realiza no meio de nós. Portanto, a quinta recomendação seria: Divulgue a sua cura ao máximo, para que todos saibam como Jesus é maravilhoso e fiel para quem segue seus mandamentos.

Jailson Ferreira

jailsonfisio@hotmail.com

http://reflexaoliturgiadiaria.blogspot.com/

24 de nov de 2009

Jesus tem pena dos doentes.

05 de dezembro – sábado

Mt 9,35-10.1.6-8

Jesus andava visitando todas as cidades e povoados. Ele ensinava nas sinagogas, anunciava a boa notícia sobre o Reino e curava todo tipo de enfermidades e doenças graves das pessoas.

No tempo de Jesus, o Serviço de Assistência Médico-Hospitalar era péssimo. Somente a classe privilegiada podia ter uma assistência médica decente. O povo sofria nas mãos de uma sociedade que em nome de Deus marginalizava os leprosos, proibia que alguém fizesse o bem para os doentes, e humilhava os enfermos que buscavam a cura na sinagoga.

Eram os líderes judaicos ( Sacerdotes, fariseus, partidários de Herodes e chefes da sinagoga) que faziam o povo sofrer por falta de atendimento médico, saneamento básico e uma medicina preventiva.

Jesus tem muita pena desse povo sofrido e discriminado principalmente pelos líderes religiosos, e o acolhe com grande bondade, cura os enfermos os quais O seguem, por dias inteiros, até no deserto deixando a memória de que "Jesus andou por toda parte, fazendo o bem e curando todos os que estavam dominados pelo diabo" (At 10,38);

Jesus identifica-se com os pobres e com os enfermos tocando nos leprosos considerados impuros pelos fariseus que se diziam puros e santos.

E você? O que tem feito pelos seus irmãos enfermos? Boa pergunta. Ou é a pergunta que pode decidir o futuro da sua alma.

"Jesus faz bem todas as coisas. Faz os surdos ouvir e os mudos falar" (Me 7,37); "Nunca vimos uma coisa assim" (Me 2,12); "Toda a multidão se alegrava com as maravilhas que Jesus fazia" (Lc 13,17).

Nos tempos atuais, também a medicina progrediu bastante, mas para o atendimento dos ricos, e da classe média alta, ou seja, para aqueles que podem pagar um Plano de Saúde. Porque a classe média baixa e os pobres que não podem pagar um Plano de Saúde, tem de ser atendidos no Pronto Socorro, ou tentar sobreviver pela automedicação, ou usando Ervas Medicinais, que por sinal, curam melhor que os remédios alopatas com seus efeitos colaterais.

Os médicos preocupados com a automedicação que reduzem os seus lucros exigem a receita médica na compra do remédio. Mais isso acaba acarretando outro tipo e efeito colateral econômico, para não dizer que é uma faca de dois gumes. Porque se o pobre não tem assistência médica adequada, se não pode pagar uma consulta médica na qual obterá uma receita ou prescrição para comprar o remédio, o que ele vai fazer? Ele vai se automedicar. É claro.

Vivemos diante de uma medicina mercenária como nos tempos de Jesus. Quem pode, pode. Aqueles que não podem, como vão sobreviver?

Prezados irmãos. Em nosso papel de cristãos atuantes, devemos sensibilizar todos os membros da comunidade cristã e estimular sua preocupação real e efetiva pelos doentes. Uma comunidade cristã que não conhece seus doentes, que não está a serviço deles, que não lhes dá lugar na comunidade, que não conscientiza os irmãos pobres sobre seus direitos, que não os ilumina no sentido de procurar cuidar da sua saúde e de seus filhos através de métodos de higiene, por exemplo, é uma comunidade que fez opção pelos poderosos, ao contrário de Jesus que fez sua opção pelos fracos e oprimidos.

Precisamos denunciar essas injustiças. Porque Jesus quer vida em abundância para todos. Ricos e pobres. E para se ter vida com saúde, a medicina precisa ser preventiva, e não curativa, com saneamento básico, e ensinamentos de normas de higiene para os menos esclarecidos. Porque se evitarmos a doença através da higiene, e de uma boa assistência-médica preventiva, não precisamos gastar nosso pobre dinheirinho com remédios e internações. Deixe os Planos de saúde para aqueles que podem pagá-los.

Sal