BOM DIA

BEM VINDOS AOS BLOGS DOS

INTERNAUTAS MISSIONÁRIOS

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS, MAS RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES. CRISTÃS OU NÃO.

CATEQUESE PELA INTERNET

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PESQUISAR NESTE BLOG - DIGITE UMA FRASE DE QUALQUER EVANGELHO

30 de jun de 2010

A Reconciliação com o Deus Pai.


O evangelho (Mt 9, 1-8) nos apresenta a reconciliação com Deus e com os irmãos na fé. O evangelista Mateus nos ajuda a perceber que o essencial dessa narrativa é o Perdão dos Pecados. O mestre da misericórdia comunicou aos seus discípulos seguidores o poder de perdoar os irmãos na comunidade eclesial. Pois ele conheceu o coração de seus seguidores e nos revelou que o grande desafio humano é perdoar o outro. “Haverá alegria nos céus entre os anjos de Deus, por um só pecador que se converta” (Lc 15, 10). O perdão dos pecados nos aproxima do coração amoroso do Pai, curando todas as enfermidades e possibilita a salvação integral da pessoa humana.

A Sagrada Escritura nos orienta que somos fracos e frágeis, que o pecado não nos deixa criar laços de solidariedade. Na tradição bíblica percebemos que os Rabinos ensinavam que uma pessoa “doente” não podia se restabelecer de sua enfermidade enquanto não lhe fossem perdoados de seus pecados. Jesus vendo a fé profunda de seus seguidores sentiu compaixão e disse: “Coragem, filho, os teus pecados estão perdoados” ( Mt 9, 2).

Somos convidados a reconhecer que nossa falta de perdão, de tolerância, de amor fraterno e de unidade nos separa do amor de Deus. Porém, contamos com a graça e o poder restaurador do Deus da vida. Ele que fez brilhar sua luz em nossos corações, nos conceda a graça de reconhecer nossos pecados e a grandeza de sua misericórdia. Aproximemo-nos, cheios de confiança no Senhor, que não deseja a morte do pecador, mas que ele se converta e viva.

Na história de salvação percebemos que o pecado é a auto-suficiência diante do projeto de Deus, não aceitando como Deus Pai.

Para Cristo, o Filho de Deus vivo, o pecado é a fraqueza e engano que o homem comete, não o aceitando Ele e o seu programa de vida. Vê quantas vezes Jesus chama à vigilância e à oração. Até o Pai-Nosso e na hora da morte: “Pai perdoai-lhes porque não sabem o que fazem”. No Novo Testamento, o maior pecado é não aceitar Jesus Cristo e o seu programa de vida. Por isso, procuraram com intensidade destruir e acabar com o Messias. Mais a experiência da Ressurreição foi à grande vitória de Deus, em Cristo. “Pai, perdoai-lhes porque não sabem o que fazem!”.

A grande novidade apresentada por Jesus Cristo, que proclama sem hesitar que a iniciativa do perdão parte de Deus e que o perdão é oferecido ao ser humano, sem condições algumas. Ele disse então, ao paralítico: “Levanta-te, pega tua cama e vai para tua casa” (v. 6).

Os pecadores não estão em condições de encontrar Cristo por suas próprias forças, “precisam da ajuda de outros, que tendo já experimentado a força renovadora da sua palavra, mantêm uma fé inabalável nele. O paralítico, do qual nos fala o trecho do evangelho de hoje, não teria conseguido chegar até Jesus, se quatro dentre seus amigos não estivessem acompanhado. Temos nós a certeza de que as nossas doenças espirituais podem ser curadas pela voz do Mestre, voz que continua ecoando nas nossas comunidades?” Amém.

edileip@yahoo.com.br

A cura acontece de dentro para fora. Quando Jesus cura nosso exterior, nosso interior é totalmente refeito.




No evangelho de hoje Mateus quer afirmar que Jesus tem o poder de perdoar os pecados. A cura do paralítico comprova esse poder. Além de ter o poder de perdoar os pecados, Jesus demonstra que tem um poder mais forte, que é aquele de penetrar os pensamentos dos escribas, sem que alguém lhe contasse, e disse-lhes: Por que pensais mal em vossos corações?

“O que é mais fácil dizer: “os teus pecados estão perdoados”, ou dizer: “Levanta-te e anda”? Ao curar o paralítico com essas palavras Jesus nos revela que o pecado nos paralisa, aprisiona e nos tira a liberdade interior.

O texto nos mostra também que Jesus, possui um conhecimento sobre-humano, sobrenatural, doado-lhe pelo Espírito Santo. Em outros momentos Jesus dirá: Vocês vêem as aparências. Eu vejo o coração. Este conhecimento sobrenatural de Jesus demonstra que Ele tem também uma dignidade única e que justifica o seu poder também único, aquele de perdoar os pecados.

Assim Jesus foi direto à raiz da paralisia humana, o pecado, que tolhe a vida da pessoa, impedindo-a de caminhar por si mesma. Quantas vezes nós nos sentimos presos , acorrentados , aos sentimentos de ódio, de medo, revolta, ressentimento, idéia de vingança, precisando de alguém que nos ajude! O pecado é tudo que nos afasta da fonte do Amor de Deus.


O pecado é o desamor, é a falta da graça de Deus e, somente quando em nós essa graça é restituída, nós nos sentiremos verdadeiramente livres. A cura do paralítico nos traz como exemplo a solidariedade dos amigos que o apresentaram a Jesus.


Algumas vezes nós podemos ser o paralítico, outras vezes nós somos um dos amigos do paralítico quando nós ajudamos alguém a encontrar Jesus. O Senhor quer tirar de nós a mentalidade de sempre querer receber e nada oferecer. Ele nos cura, mas nos manda também levantar e tomar a nossa cama, isto é a nossa vida e dar testemunho na nossa casa colocando-nos à disposição da edificação do Seu reino na nossa casa.Ele não nos quer acomodados na mesmice, mas ousados e cheios de fé.

A ação de Jesus recriava o ser humano a partir de seu interior, atingindo os níveis mais profundos, ali onde se processa a comunhão entre a criatura e o Criador. A cura acontece de dentro para fora.

Quando o exterior é curado, é porque o interior já deve ter sido totalmente refeito.A cura do paralítico foi possível por causa de sua confiança inabalável em Jesus. Esta é a fé que se exige de quem pretende ser curado por ele. Mas, a partir de dentro!


Meu irmão,minha irmã,hoje mais uma vez convido-te a refletir: Você alguma vez se sentiu também paralisado pelo pecado?Você já recebeu ajuda de alguém que levou você para receber o perdão de Deus?Você tem ajudado às pessoas que estão doentes, paralisados pela vida? Você é uma pessoa acomodada nos mesmos vícios, nos mesmos pecados ou erros ?Você tem dado testemunho de Jesus na sua casa?

Amém

Abraço carinhoso de

MARIA REGINA

29 de jun de 2010

OS DEMÔNIOS DO CEMITÉRIO

DIA 30 DE JUNHO 2010

Tu vieste aqui para nos atormentar antes do tempo?

Neste Evangelho narra que Jesus, ao entrar numa cidade, expulsou o demônio de dois homens. Os demônios foram para uma grande manada de porcos, os quais se atiraram no mar e morreram. Então os habitantes da cidade pediram a Jesus que se retirasse da região deles.

A criação de porcos era a principal economia daquele povo. A libertação do pecado, muitas vezes, tem como preço a diminuição da renda em dinheiro, especialmente quando essa renda provém ou está sendo fonte de pecado.

Deus só aceita quem o ama sobre todas as coisas. Não podemos servir a dois senhores: a Deus e ao dinheiro.

Os possessos saíram dos túmulos. Os mortos querem viver entre os mortos. Os pecadores querem viver entre os pecadores. Por outro lado, os santos querem viver entre os santos. “Diz-me com quem andas e te direi quem és”. O túmulo é um lugar escuro. “Todo aquele que pratica o mal odeia a luz e não se aproxima da luz, para que suas ações não sejam denunciadas” (Jo 3,20).

“Eram tão violentos, que ninguém podia passar por aquele caminho.” Quem vive com Deus é pacífico, quem não vive, é violento. Existem ruas, e até bairro, em que o povo tem medo de passar. A violência moral às vezes é pior que a física.

“Que tens a ver conosco, Filho de Deus?” As estruturas do mal conhecem quem é mais forte que elas e tem poder de destruí-las. A Igreja de Jesus, una, santa, católica e apostólica, é a religião mais atacada do mundo. Todas as religiões se unem apenas em um ponto: para atacar os católicos. Quem está fora da Igreja católica sabe que ela é o Corpo Vivo de Jesus, o Filho de Deus, por isso a ataca.

“Tu vieste aqui para nos atormentar antes do tempo?” É uma referência ao inferno, o tormento no tempo certo.

“Se nos expulsas, manda-nos para a manada de porcos.” O porco era considerado um animal impuro, porque vive na lama e anda sempre sujo. Combina, portanto, com o “pai do pecado” que é o demônio.

“A cidade toda foi ao encontro de Jesus, e lhe pediram que se retirasse da região deles.” Preferiram o dinheiro (porcos) a Jesus. Na verdade, todos os habitantes da cidade eram possessos, ou possuídos pelo deus dinheiro. Quem não renuncia a tudo o que possui não pode entrar no Reino de Deus. “Não podeis servir a Deus e ao dinheiro” (Lc 16,13).

E assim, a recusa a Jesus ia crescendo dia-a-dia e o seu campo de trabalho diminuindo, até que, na ressurreição, explodiu para o mundo inteiro, e nunca mais será barrado.

Certa vez, um pastor estava no campo cuidando de um enorme rebanho de ovelhas. E estava ao lado de uma estrada. De repente um carro parou. Saiu do volante um rapaz, com jeito de distinto, e disse ao pastor: “Se eu lhe disser quantas ovelhas o senhor tem neste rebanho, o senhor me dá uma?” O pastor respondeu: “Tranqüilo!”. O rapaz pegou no carro o seu not-boock, conectou-o na internet via satélite, acessou um programa especial de contagem de animais pelo satélite e, em poucos segundos, apareceu na tela o número: Havia ali 1586 ovelhas. “É exatamente este número”, confirmou o pastor. Então o jovem pegou uma ovelha, pôs no carro, e já estava indo embora, quando o pastor o chamou e disse: “Moço, se eu lhe disser algo da sua vida particular, você me devolve a ovelha?” “Sim”, respondeu ele. O pastor falou: “Você leva uma vida bastante isolada, tanto das pessoas como dos animais”. “Acertou de cheio” – disse o jovem – “mas me diga uma coisa: Como que o senhor sabe disso?” O pastor respondeu: “Porque você teve um comportamento estranho: parou aqui sem necessidade, contou minhas ovelhas sem eu pedir, e me cobrou uma ovelha para dizer o que eu já sabia. E não entende nada de ovelha, porque o que você pegou não é ovelha, mas o meu cachorro!”

Rapaz tão inteligente em umas coisas, mas tão burro em outras. Quantos jovens de hoje estão na mesma situação! Há muitas maneiras de ser possuído pelo demônio; apegar-se demasiadamente à técnica e à ciência e se esquecer da caridade e do respeito ao próximo é uma delas.

Maria Santíssima acolhia sempre seu Filho com amor de mãe. Que ela nos ajude a recebê-lo bem e segui-lo, renunciando a tudo o que é contrário a ele.

Tu vieste aqui para nos atormentar antes do tempo?

Padre Queiroz (Enviado por Vera Lúcia)

Jesus é O Senhor!Até mesmo o inimigo sabe que Ele é o Senhor e o teme, pois é infinito o seu Poder Divino!



Os homens, às vezes, até inadvertidamente deixam-se apossar pelas obras do maligno. O inimigo de Deus persegue os filhos de Deus e o seu maior desejo é fazer com que a criatura rejeite o Seu Criador.

Na época de Jesus, muitas enfermidades internas eram interpretadas como possessões demoníacas. Por isso, para eles, o sinal mais evidente da chegada do Reino era a vitória sobre essas forças do mal que provocava muito sofrimento. Esses demônios faziam o homem escravo e os levavam a viver fora da realidade, como morar em cemitério, ser agressivo, quebrar grilhões e se ferirem.

Nesta narrativa os próprios endemoniados gritaram reconhecendo Jesus como Filho de Deus e replicaram: “o que tens a ver conosco, Filho de Deus? Tu vieste aqui para nos atormentar antes do tempo? Na nossa vida também, há ocasiões em que nós agimos e falamos como os dois homens da história narrada por Mateus. Reconhecemos que Jesus é o Filho de Deus, sabemos que só Ele tem poder para nos libertar do pecado, todavia nos rebelamos contra Ele e entendemos que ainda não é tempo para sairmos da vida de escravos.
No entanto, nós sabemos que Jesus já derrotou o inimigo quando venceu a morte que é a conseqüência do pecado e ele sabe que já foi vencido por Jesus, mesmo assim continua explorando o ser humano.

Se nós tivermos consciência de que Jesus já venceu a morte e que já nos deu a vida eterna, nós não cairemos nas malhas dos inimigos. Se tivermos inteligência nós deixaremos que Jesus se aproxime de nós e não O impediremos de entrar na nossa vida.Jesus é O Senhor!Até mesmo o inimigo sabe que Ele é o Senhor e o teme, pois é infinito o seu Poder Divino!
Ora, não nos basta saber, é preciso por em prática – no cotidiano o senhorio de Jesus, é necessário a Ele render honra e glória e com as nossas ações o glorificar, mesmo quando somos criaturas errantes e pequeninos…
Jesus sabe para onde deverão ir os “espíritos maus” que tentam nos acorrentar para nos fazer pessoas infelizes. Os espíritos maus que podem nos atormentar ainda hoje, fazem de nós pessoas iradas, rebeldes, idólatras, materialistas, impacientes, murmuradoras, intolerantes, medrosas, arrogantes e às vezes, tão violentas que podemos ser comparados com verdadeiras “feras”.
Meu irmão,minha irmã,refletindo: Como é a sua reação quando você sofre alguma injustiça? Você é uma pessoa que gosta de revidar?Você é uma pessoa impaciente que não leva desaforo para casa? Você se sente em paz diante das suas ações com as pessoas? Você é uma pessoa fácil de ser influenciada e atraída para as coisas do mundo ?

Amém

Abraço carinhoso

Profª MARIA REGINA

JESUS ACALMA UMA TEMPESTADE

29 de junho de 2010.

Evangelho (Mateus 8, 23-27)

Fortalece Senhor, a minha fé.

No evangelho de hoje, Jesus entra na barca, seus discípulos os seguem. E aconteceu que as ondas de uma grande tempestade cobriam a barca, assustados eles acordam Jesus que dormia, pediam para que Ele os salvasse, pois estavam em perigo. Jesus lhes diz: “Por que tendes tanto medo, homens fracos na fé. Jesus se levanta, ameaça os ventos e o mar, e fez-se calmaria. Essa passagem retrata as dificuldades, as perseguições, as tribulações que passavam e que ainda passariam os discípulos, pela opção de seguir a Jesus, de entrar na barca com Ele, de assumir o risco que exigia a missão de ser discípulo de Jesus. E mesmo sendo pescadores experiente, sentiram medo de afundarem.

E nós? Quantas tribulações temos em nossas vidas? Em nossas famílias? Filhos que usam drogas, que se envolvem com a marginalidade, problemas com alcoolismos, faltam de emprego, dificuldades financeiras, uma doença, a falta de compreensão dos amigos, dos familiares porque você optou por ajudar sua comunidade, a participar da missão de Jesus. Muitos são os mares agitados em nossas vidas, e assim como os discípulos de Jesus, achamos que vamos nos afogar? Com tantas aflições como está minha fé e a minha confiança? A quem recorro para pedir socorro, ajuda? Muitas vezes quando mais precisamos ter fé, nos sentimos fracos, abalados. Não temos a mesma confiança que Jesus tem no Pai, que dorme com tranqüilidade quando o mar está muito agitado. “Quem é este homem, que até os ventos e o mar lhe obedecem? Quem é Jesus para mim? Qual a imagem que tenho de Jesus?

Há algum tempo, li uma frase que era mais ou menos assim: “Pedras no meu caminho? Juntarei todas e construirei um castelo.” Sempre aprendemos algo de bom com as dificuldades, nos sentimos mais fortalecidos, e com coragem para enfrentar os desafios futuros e vencê-los. Mesmo quando sentimos que estamos perdidos, sem saída, é nesse momento que devo buscar me fortalecer, estar forte em minha fé. Acreditando sempre que Deus está comigo, e que tudo dará certo se confio plenamente Nele. É em Deus que encontramos força, coragem para enfrentar as dificuldades, o que não podemos é ficar de braços cruzados sem fazer nada, pois pedi a Deus e agora Ele vai resolver pra mim. Mas, com Deus tenha certeza que Ele nos ajudará a juntar todas as pedras de nosso caminho, para que nós também participemos da construção do Reino. Peçamos ao Senhor que sejamos sempre firmes em nossa fé.

Um abraço.

Elian.

Oração
Pai, põe no meu coração a certeza de que o Ressuscitado está comigo e me dá força nos momentos de tribulação. E, assim, eu dê provas de que a minha fé é sólida.