BOM DIA

BEM VINDOS AOS BLOGS DOS

INTERNAUTAS MISSIONÁRIOS

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS, MAS RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES. CRISTÃS OU NÃO.

CATEQUESE PELA INTERNET

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PESQUISAR NESTE BLOG - DIGITE UMA FRASE DE QUALQUER EVANGELHO

30 de abr de 2011

NASCER DO ESPÍRITO- Sal


Evangelho (João 3,7-15)

É a continuação da conversa de Jesus com Nicodemos sobre a necessidade de se nascer de novo, de ser um novo homem, uma nova mulher.

E Nicodemos  quer saber mesmo como se pode fazer isso? 

Jesus está se referindo àquele que nasce do espírito. Para uma vida nova sem egoísmo, sem inveja, sem sentimento de vingança, sem ódio e de muita oração e meditação na palavra de Deus. É aquele que deixa de ser cristão apenas na hora da missa, para ser cristão 24 horas, mesmo tendo que gerenciar e cuidar da sua vida pessoal. Mas isso é possível? Sim, claro!  Pois estando unido a Deus, sintonizados naquele que pode tudo, também podemos  realizar muita coisa.

Nicodemos, assim como nós hoje tem dificuldade para entender  ou aceitar a proposta de Jesus, por viver muito ligado  às coisas terrenas, ao contrário de Jesus que vivia as coisas celestes.  Como é grande também a nossa dificuldade às vezes de entender os desígnios de Deus.  Podemos nos revoltar quando queremos tanto uma determinada  coisa e não a conseguimos. Deus não nos dá aquilo, mas nos proporciona outra, ou  outras coisas que nem as pedimos por não achar que eram necessárias à nossa existência. Isto acontece por que somente Deus é que sabe o que é bom para nós. Principalmente nós missionários da palavra de Jesus, com certeza somos monitorados 24 horas por Deus, e teremos  tudo o que precisarmos para realizar com eficiência a nossa missão: a sobrevivência, necessária  proteção, inspiração e também compensação por responder aos chamado dele participando do seu plano de amor e de salvação para com a humanidade

Sal

 

“Necessário vos é nascer de novo”- Rita Leite


Segunda-feira 02/ 05/ 2011


Evangelho – João 3, 1-8


            Nicodemos um dos fariseus foi procurar Jesus à noite, às escondidas. Nicodemos tinha visto os sinais que Jesus realizava e teve a certeza que Jesus vinha da parte de Deus. Jesus diz a Nicodemos: Em verdade te digo,se alguém não nasce do alto, não pode ver o reino de Deus. Nicodemos lhe pergunta: Como é que alguém pode nascer se já é velho? Poderá entrar outra vez no ventre de sua mãe? Jesus respondeu: Em verdade te digo, se alguém não nasce da água e do Espírito, não pode entrar no Reino de Deus.

            Nicodemos era um homem religioso conhecedor e praticante da lei de Moisés. Mas o que Jesus pede a Nicodemos é uma nova vida. Nicodemos apesar de ser um cumpridor da lei, uma pessoa boa, ainda se encontra longe do reino de Deus.

            É preciso nascer da água e do espírito. Isto é: do batismo e do Espírito santo, é preciso que haja conversão. Mudança de um coração endurecido, para um coração cheio de amor e misericórdia. Quem nasce do Espírito, tem vida nova em Cristo. É preciso crer e aceitar a vida que Jesus veio nos trazer pelo seu nascimento morte e ressurreição.

            Não basta sermos frequentadores da igreja, prestarmos serviços, sermos cumpridores dos mandamentos, é preciso a adesão integral à pessoa de Jesus Cristo. É deixar- se guiar pelo Espírito de Deus é estar aberto á graça divina, à novidade que é o Evangelho. Precisamos de uma conversão sincera de coração, deixar morrer o homem e a mulher velhos que há em nós. Para então permitir que pela graça do Espírito Santo Deus possa ir construindo-nos, e fazendo-nos melhores.

            A palavra de Deus diz que, quem está em cristo é nova criatura que as coisas velhas passaram. Somos nascidos de novo.

            Deixemos nos guiar pelo Espírito que nos transforma. Que o Espírito realize em nós aquilo que Deus quer. E assim sendo novas criaturas possamos anunciá-lo a todos com entusiasmo de quem teve um verdadeiro encontro com o Cristo ressuscitado.

            Abraço fraterno. Em Cristo

Rita Leite

 

           

 

“Eu Sou o caminho, a verdade e a vida” - Rita Leite


03 de maio

Evangelho de João 14, 6-14

            No Evangelho de hoje Jesus havia acabado de falar sobre sua volta para o pai, e seus discípulos não tinham entendido suas palavras. Jesus  lhes diz: para onde eu vou vocês já conhecem o caminho. Tomé disse a Jesus: Senhor nós não sabemos para onde vais como podemos conhecer o caminho? Jesus respondeu: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vai ao pai senão por mim. Se vocês me conhecem conhecerão também o meu pai."

Felipe disse a Jesus: Senhor mostra-nos o Pai. Jesus respondeu: "Faz tanto tempo que estou convosco e ainda não me conhece, Felipe? Quem me viu,  viu o Pai."

Jesus é o verdadeiro caminho, só por ele iremos ao pai, só nele há a salvação. Pedro nos diz em Atos dos Apóstolos, 4 que não há outro nome pelo qual possamos ser salvos.

            Em certos momentos de nossas vidas devidos alguns acontecimentos, ficamos sem direção. Às vezes nos sentimos perdidos sem saber pra onde ir. Nestes momentos é preciso lembrar, só Jesus é o caminho. Nossa fé nos garante que não importa as nossas dificuldades Ele sempre estará ao nosso lado, nos apontando a direção certa.

            Jesus nos convida a percorrer este caminho, que nem sempre é fácil, mas que vale a pena. A fazer de este caminhar no mundo uma opção de vida, onde possamos ir deixando os sinais do reino de Deus.

Quando seguimos este caminho que é o próprio Jesus, não caminhamos para o fracasso e sim para a vitória que Ele próprio já nos deu na cruz/Ressurreição. Vamos com Jesus criando novas esperanças de vida fraterna para todos.

            Jesus veio nos revelar o rosto misericordioso de Deus Pai. Ele é a imagem visível do Deus invisível. Paulo em sua carta aos Rm 1,19 diz : "Pois aquilo que é possível conhecer de Deus foi manifestado aos homens; e foi o próprio Deus quem o manifestou." Jesus nos mostrou quem é o pai. Porque Ele está no pai e o pai está nele.

            Que Jesus nos dê a graça de ver a presença amorosa do Pai que Ele veio nos revelar. Amém.

Abraço

Em Cristo

Rita leite

A ressurreição de Jesus - Fr. Denis Francisco Rosa Oliveira


 

A palavra


O Evangelho de Marcos relata a ressurreição de Jesus e o testemunho daqueles a quem Ele se revelou primeiro.

Primeiramente, Jesus aparece a Maria Madalena, a quem Ele expulsou sete demônios. Ela foi ao túmulo para levar perfumes e vê que o túmulo, onde estava Jesus, está aberto. Enquanto ela está no túmulo, dois anjos aparecem para ela, dizendo que aquele a quem ela procura já não se encontra lá. Esse relato encontra-se no Evangelho de João, porém Marcos não conta os detalhes de como Maria Madalena soube que o mestre ressuscitou.

O primeiro testemunho é feminino. Ninguém dos primeiros seguidores de Cristo acreditou nas palavras de Maria Madalena. Claro, há grandes motivos para não acreditar: Um deles é que todos estavam abalados pela perda do mestre; outro motivo é que quem dá o testemunho é uma mulher, a quem Jesus havia libertado dos demônios; e por fim, certamente estavam com medo do poder romano e das autoridades religiosas.

No Evangelho de João, Maria Madalena não foi sozinha ao túmulo. Com ela haviam outras mulheres. Mas, Marcos interessa testemunhar que Jesus ressuscitou e que está aparecendo aos seus seguidores.

No versículo 12, o evangelista deixa de contar mais uma vez os detalhes sobre o aparecimento Jesus aos dois discípulos que vão ao campo. Os discípulos que Marcos se refere são de Emaús. Mais uma prova de que Marcos deseja apenas mostrar que Jesus ressuscitou e está se revelando aos seus seguidores. Após fazerem a experiência com o ressuscitado, os discípulos de Emaús retornam para o meio dos discípulos, contando a experiência realizada. Novamente a comunidade não acredita.

Enfim, Jesus ressuscitado aparece a todos, justamente no momento da comunhão, isto é, no instante em que estão partilhando. O mestre chama a atenção daqueles que não acreditaram naqueles a quem Ele se revelou. Ao dizer "falta de fé" e "dureza de coração" Jesus está referindo-se àqueles que não acreditam nos mistérios de Deus, e muito menos são capazes de acolher àqueles que fazem essa experiência divina, dando testemunho.

 

A realidade


Em nossa vida cotidiana encontramos pessoas que dão testemunhos vivos do Cristo Ressuscitado. Muitas dessas pessoas acreditam na vida, no futuro, na esperança, num mundo de justiça e de paz, e jamais desejam que o mundo se acabe, como muitos desejam, inventando certas profecias distorcidas. É possível perceber nessas pessoas um espírito de acolhida, um coração aberto e que vivem o que acreditam. Pessoas como essas encontram-se presentes em nossas sociedades, porém, muitas vezes, não somos capazes de acreditar nelas. Peçamos a Maria que nos ajude a sermos mais abertos aos outros e acreditar num mundo cheio de esperanças e de vida ressurgida.

 Eu vi Jesus

 

 (denisfcssr@gmail.com)

Jesus andando sobre as águas - Fr. Denis Francisco

 

 Sábado, 07 de Maio de 2011

Evangelho - Jo 6,16-21

 A palavra

Os discípulos, ao anoitecer, foram ao mar em direção à Cafarnaum. Jesus não estava com eles. O Evangelho de hoje é a continuação do mesmo de ontem (Jo 6,1-15). Após a multiplicação dos pães e peixes, o povo sedento de fome quis proclamar Jesus como rei; porém, ele afastou-se de todos e isolou-se numa montanha.

Os discípulos estão na barca, mas Jesus não se encontra com eles. É importante levar em conta os fenômenos naturais que aparecem na narração de João: cair da tarde, estava escuro, vento forte e mar agitado. Para uma embarcação pequena e pobre, como é a dos discípulos, esses fenômenos comprometem estar em auto mar.

Jesus aparece, mesmo naquela escuridão, para eles; mas de um modo muito estranho: ele está "andando sobre as águas". Com todos esses acontecimentos, os apóstolos ficam com medo.

Apesar de toda a celeuma, por parte da embarcação, surge uma voz consoladora: "Sou eu. Não tenhais medo". Jesus afirma que é ele quem está andando sobre as águas, e não nenhum fantasma ou outra criatura imaginária. A embarcação se acalma e refletem sobre esses acontecimentos.

 

A realidade

Um dia seu João acordou com uma grande vontade de ser bom. Lavou o rosto, cantando uma cantiga de igreja, elogiou o café, despediu-se da esposa e das crianças, ligou a caminhonete e deixou o sítio rumo à cidade. Devia chegar cedo ao escritório, pois tinha compromisso urgente.

Mas, logo ali à beira da estrada, uma senhora com duas crianças parecia estar esperando condução. Ofereceu-lhe carona. Ela aceitou, porque era caso de doença.

Chegando à cidade, procurou logo o médico e deixou a mulher e as crianças aos cuidados de um conhecido. De tardezinha voltaria para levá-las de volta.

Fez tudo para terminar mais cedo seus compromissos, e passou no hospital. Graças à mediação de João, as crianças foram atendidas e medicadas com mais presteza.

Chegando de volta, a mãe agradeceu, feliz da vida.

Quando o dono do carro ia fazendo manobra para pegar novamente a estrada, uma das crianças disse à sua mãe, apontando para o motorista:

- Mãe, hoje eu vi Jesus. A senhora vive se queixando da pobreza. Chega até a dizer, que Deus não existe. Ele existe, sim. Hoje eu o Vi.

 

Em nossa vida cotidiana, sempre estamos perdidos no "mar agitado", enfrentando "ventos fortes" e, "na escuridão", sem luz. E o medo toma conta da gente. Às vezes, surge uma voz consoladora que nos questiona, pergunta sobre o motivo pelo qual o desconsolo, o que está acontecendo e o que ela possa ajudar. Quando isso acontece, os nossos medos vão se embora, porque existe mais uma pessoa que deseja, com você, enfrentá-los. Assim, como o João de nossa historinha de vida, possamos enxergar às dificuldades das pessoas, com um olhar sempre atento à sua realidade.

Eu sou Jesus

 

Fr. Denis Francisco Rosa Oliveira CSsR ( denisfcssr@gmail.com)

Distribuiu-os aos que estavam sentados, tanto quanto queriam – Vera Lúcia.

Sexta-feira, 06 de Maio de 2011

Evangelho - Jo 6,1-15

 

Este Evangelho narra a cena da multiplicação dos pães. O evangelista começa dizendo que uma grande multidão seguia Jesus, porque via os sinais que ele operava em favor dos doentes. Hoje continua havendo sinais, a favor dos doentes, a favor do casamento, da paz... Sinal, no Evangelho de S. João, é uma manifestação da presença de Deus através de um gesto humano.

"Jesus subiu o monte e sentou-se... Estava próxima a Páscoa, a festa dos judeus." O monte lembra o monte Sinai onde Deus deu os dez mandamentos para Moisés. Sentar-se é atitude própria do legislador. Jesus quer criar uma nova Lei e uma nova Páscoa, em que comer o alimento sagrado nos compromete com a partilha do alimento material.

"Levantando os olhos..." Nós também precisamos levantar os olhos para ver as necessidades dos nossos irmãos e irmãs. Abrir a janela da nossa casa para ver o mundo lá fora, ver com o coração, e depois abrir a porta e sair para o meio do mundo, como fazia Jesus.

"Jesus disse a Filipe: onde vamos comprar pão...? Disse isso para pô-lo à prova." Foi para provar a fé do Apóstolo, pois se estamos junto com Deus tudo é possível, não existe problema sem solução. Mas Filipe não passou na prova: "Nem duzentas moedas..." Felizmente outro Apóstolo, André, ouviu a conversa e se saiu bem melhor que o colega: "Está aqui um menino com cinco pães de cevada e dois peixes..." A prova era justamente esta: confiando em Deus, apresentar o pouco que temos, a fim de que Deus faça o resto. Deus sempre faz surpresas.

A humanidade se divide em dois grupos: os egoístas, que não confiam em Deus e por isso ajuntam bens o máximo que podem, e os solidários que confiam em Deus e partilham o pouco que possuem. Estes são felizes, aqueles não, apesar das riquezas que acumulam.

"Fazei sentar as pessoas." Multidão sentada evita tumulto, é mais fácil trabalhar, passar pelo meio e distribuir. Evita que os aproveitadores recebam mais que os outros. É o mesmo que dizer: organizai o povo. Povo unido e organizado nunca passa fome.

"Jesus tomou os pães e deu graças... e fez o mesmo com os peixes." Deus opera maravilhas, mas precisamos ter fé, confiar nele e orar!

"Recolhei os pedaços que sobraram." Evitar o desperdício. Não jogar alimento no lixo, sabendo que ao lado há pessoas que não têm! Este é um grande pecado da humanidade moderna.

"Quando notou que estavam querendo proclamá-lo rei, Jesus retirou-se." Com o gesto ele disse: a glória é para Deus Pai, não para mim! Isso que eu fiz, vocês podem fazer, e mais ainda, se tiverem fé.

Quanta maravilha semelhante a essa multiplicação dos pães acontece hoje em dia, graças a cristãos que agem como o Apóstolo André! Cheios de fé e confiança, apresentam a Deus o pouquinho que têm ou que sabem, e acontece o milagre chamado pastoral da saúde, pastoral da criança, do idoso, da moradia, da terra... São alimentos que se multiplicam, sorrisos que se abrem, vidas que se renovam. Comunidades pequenas transformam bairros inteiros. O milagre está a disposição de todos, porque Deus foi, é e será sempre assim. Ele abençoa quem dá o primeiro passo. Às vezes esse primeiro passo consiste em convocar uma reunião, em procurar alguém e abrir o coração, expondo sua inquietação...

Certa vez, um homem teve um sonho. Sonhou que Deus estava criando a humanidade com asas. Mas em cada um, tanto homem como mulher, ele colocava uma asa só, de um lado, ficando o outro lado sem asa. O homem perguntou então para um anjo: "Por que Deus não coloca duas asas nos homens, como fez com as aves?" O anjo respondeu: "Porque os homens e as mulheres só podem voar se segurarem na mão de Deus".

Então é isso aí: de um lado a asa, do outro segurando em Deus. Assim podemos voar, e muito alto. Podemos não só multiplicar pães, como fez Jesus, mas fazer muito mais.

Que Maria Santíssima nos ajude a imitar o Apóstolo André, a fim de que o Reino do seu Filho seja construído o mais rápido possível.

Distribuiu-os aos que estavam sentados, tanto quanto queriam.

 Vera Lúcia.

O Pai ama o Filho e entregou tudo em sua mão - Padre Queiroz

 

Quinta-feira, 05 de Maio de 2011

Evangelho - Jo 3,31-36

 

Este Evangelho nos apresenta a centralidade da fé em Jesus: "Aquele que acredita no Filho possui a vida eterna. Aquele, porém, que rejeita o Filho não verá a vida, pois a ira de Deus permanece sobre ele". É o que aprendemos no catecismo: Jesus veio para nos libertar do pecado original, pelo qual todos estávamos sob a ira de Deus. Libertando-nos do pecado, Jesus nos libertou também dessa ira. Aquele que rejeita a Jesus, a ira de Deus permanece sobre ele.

"Quem é da terra, pertence à terra e fala das coisas da terra. Aquele que vem do céu está acima de todos." Nós, seres humanos, somos todos da terra e não conhecemos nada além da terra. Portanto não temos condição nenhuma de conhecer as coisas espirituais ou da vida após a morte. Jesus, que veio do céu, é que nos revelou. Religião é uma instituição que trata do nosso relacionamento com Deus e da nossa salvação eterna. Imagine o absurdo de alguém que é da terra fundar uma religião!

"Aquele que Deus enviou fala as palavras de Deus." E mais: "O Pai ama o Filho e entregou tudo em sua mão". Se ouvirmos as palavras de Jesus e estivermos na Igreja que ele fundou, podemos ficar tranqüilos, porque Deus Pai colocou tudo nas mãos de Jesus. Ele tem poder sobre a terra e sobre o céu, sobre o mundo visível e o invisível, material e espiritual. Quanta gente tem medo de "trabalhos", isto é, feitiços que os outros fazem, mau olhado, dia treze, sexta-feira, praga etc. Nada disso pega em quem é batizado, pois é um só corpo com Cristo.

Na Páscoa, a luz venceu as trevas, a paz venceu a violência, o bem venceu o mal, a verdade venceu a mentira, o amor venceu o ódio e a vida venceu a morte. E nós somos, principalmente pelo nosso testemunho de vida, testemunhas de tudo isso. Somos chamados a acolher a luz em nossa vida e sermos luz para os outros, mesmo sabendo que as trevas perseguem a luz.

Certa vez, uma professora pediu aos alunos que no dia seguinte levassem uma sacola com batatas para a sala de aula. No dia seguinte, ela solicitou que separassem uma batata para cada pessoa que os magoara ou de alguma forma os fizera sofrer. Então escrevessem o nome da pessoa na batata e a colocassem dentro da sacola.

Eles começaram a pensar, e foram lembrando uma a uma... Algumas sacolas ficaram muito pesadas! A tarefa seguinte consistia em, durante uma semana, no período escolar, carregar consigo a sacola com as batatas para onde quer que fossem.

Com o tempo, as batatas foram se deteriorando. Era um incômodo carregar a sacola o tempo todo e ainda sentir seu mau cheiro. Além disso, a preocupação em não esquecê-la em algum lugar fazia com que deixassem de prestar atenção em outras coisas que eram importantes para eles.

E foi assim que os alunos entenderam a lição de que carregar mágoas é tão ruim quanto carregar batatas. Perdoar e deixar a mágoa ir embora é a única forma de ter calma, alegria e paz.

E mais: Deus colocou tudo na mão de Jesus e ele nos manda perdoar e não guardar mágoa de ninguém. Sendo ele o Senhor todo poderoso, podemos confiar e nos jogar totalmente na obediência à sua palavra.

Maria Santíssima foi só luz, sem mistura de trevas. Ela construiu tão bem a sua história terrena, que foi eleita Rainha do céu e da terra. Que ela nos ajude a imitá-la. O Pai ama o Filho e entregou tudo em sua mão.

Padre  Queiroz

 

Deus enviou seu Filho ao mundo para que o mundo seja salvo por ele - Pe. Queiroz


Quarta-feira, 04 de Maio de 2011

Evangelho - Jo 3,16-21


Neste Evangelho, Jesus nos apresenta o motivo da Redenção, por que ela aconteceu. Não partiu de algum mérito do ser humano, mas unicamente de Deus, do seu amor a nós. Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho unigênito.

Deus nos ama com um amor tão grande, que nem o pecado conseguiu estancar esse amor, ao contrário, o fez crescer ainda mais. "Acaso uma mulher esquece o seu neném, ou o amor ao filho de suas entranhas? Mesmo que alguma se esqueça, eu de ti jamais me esquecerei!" (Is 49,15).

Jesus veio expressar com a sua vida, morte e ressurreição, esse amor de Deus por nós: "Jesus, tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim" (Jo 13,1).

Deus enviou seu Filho ao mundo para que o mundo seja salvo por ele. Devemos ver Jesus como o nosso melhor amigo, que vê o nosso lado bom e faz de tudo para que sejamos nesta vida e na outra.

Entretanto, "quem pratica o mal odeia a luz e não se aproxima da luz". Aí está a explicação de todos os males deste mundo e por que muitos não vão para o céu. Somos livres, e aqueles que praticam o mal preferem agir no escuro ou escondido, para que ninguém descubra suas más ações. Veja, por exemplo, os ladrões que sempre agem escondido. Ao evitar que os outros descubram o que fazem, os maus se condenam a si mesmos, pois mostram que sabem que suas ações são más.

Mas o amor de Deus por nós é maior que o nosso pecado. Por isso todos nós, santos e pecadores, podemos nos aproximar de Jesus com confiança, pois ele nos ama a todos com um amor misericordioso e infinito. Ninguém deve ter medo de Jesus, pois ele não para condenar, mas para salvar.

Quando somos amados por alguém, sentimos o desejo de retribuir. Amor com amor se paga. A nossa melhor retribuição é a obediência à sua Palavra e o engajamento cada vez maior na sua Igreja, una, santa, católica e apostólica.

Vamos, neste tempo pascal, acolher este presente de amor que Deus nos deu e nos deixar transformar por ele, o fogo do amor que veio ao mundo para queimar o pecado e purificar a prata.

Um dia, um senhor que estava viajando de carro do Rio para S. Paulo, entrou na cidade de Aparecida, comprou uma vela do seu tamanho, dirigiu-se à capela das velas no Santuário, acendeu a vela e fez a seguinte oração: "Senhor, eu precisava rezar muito aqui, mas não tenho tempo. Por isso, aceite as minhas preces, simbolizadas nesta vela, pela intercessão de N. Sra. Aparecida". Colocou a vela no lugar apropriado e continuou sua viagem.

Foi uma oração simbólica, com toda certeza aceita e agradável a Deus. A vela era do seu tamanho porque era ele mesmo que ficava ali rezando, representado pela vela. Nós gostamos de usar símbolos, e Deus também gosta. A Bíblia é todinha cheia de símbolos.

Inclusive, a vela se parece com o cristão. Ambos se consomem para iluminar e servir o seu ambiente. Até as lágrimas da vela simbolizam as nossas lágrimas, na luta pelo Reino de Deus. O amor sempre custa lágrimas.

De um jeito ou de outro, nós precisamos rezar, e muito, a fim de não praticarmos obras más, afastando-nos da luz.

Maria Santíssima ajudou o seu Filho a executar o plano de amor de Deus Pai. Que ela nos ajude também a acolher com generosidade esse plano. Santa Maria, rogai por nós.

Deus enviou seu Filho ao mundo para que o mundo seja salvo por ele.

Padre Queiroz

Eu sou o caminho, Eu sou a verdade, Eu sou a vida! -Fr. José Luís

Terça-feira, 03 de Maio de 2011

Evangelho - Jo 14,6-14

 

A primeira frase do Evangelho de hoje é uma resposta ao versículo que não aparece aqui, o versículo quinto. Nele está contida a pergunta de Tomé: como conheceremos o caminho, se não sabemos para onde vais? Jesus, por fim, define-se como alguém em quem se pode confiar. Eu sou o caminho, Eu sou a verdade, Eu sou a vida!

A figura de Tomé só interage com Jesus no Evangelho de João, nos demais Evangelhos, somente é citado na lista dos doze apóstolos. Apesar de não estarmos celebrando a sua memória hoje, podemos dizer que ele foi um dos grandes seguidores de Jesus, que acreditou no projeto de um Galileu, que tinha tudo para ser frustrado. Foi um apóstolo corajoso, ainda que a tradição o tenha colocado como o homem das dúvidas, que sempre tem de ver para crer, ou seja, Tomé é transformado numa figura de cientista pós-moderno. Mas, na realidade, ele foi apenas uma pessoa apaixonada pelo projeto de Jesus, e queria algumas respostas do mestre. Nós também devemos agir como Tomé para que não sejamos enganados por falsas propostas.

Tiago Menor, filho de Alfeu, é citado pelos Evangelhos. Foi martirizado em 62 d.C., e foi citado até por um historiador judeu chamado Flávio Josefo, que diz Tiago ser irmão de Jesus. Na carta aos Gálatas 1, 19 – Paulo diz ter conhecido Tiago, o irmão do Senhor. É claro para nós que Tiago tinha grande importância para o mestre, pois fazia parte do círculo familiar de Jesus. Foi corajoso, pois dirigiu a Igreja nascente que já sofria perseguições – não teve medo da morte, quando os seus carrascos vieram para prendê-lo.

Filipe, um outro apóstolo também citado por todos os Evangelhos, da mesma maneira que Tomé, só ganha um destaque maior neste Evangelho de João. Ele é o que convida Natanael para seguir aquele do qual Moisés havia falado nas escrituras, Jesus de Nazaré, filho de José. Filipe é a imagem de um missionário corajoso, que não teme anunciar o que ele acredita.

Olhando para esses dois apóstolos, Filipe e Tiago, queremos pedir a proteção de nosso Deus, para que sejamos corajosos no nosso trabalho missionário de anúncio do Reino de Libertação para todos.

Jesus se revela como aquele que conhece o Pai, que tem uma íntima relação com Deus, a ponto de demonstrar a sua tristeza ao apóstolo que ainda não havia entendido a beleza de sua missão. O Pai era revelado nas obras que Jesus fazia, e este é o convite que Jesus nos faz: quem crê em mim fará as obras que eu faço!

E a nossa realidade de hoje? Perseguições às mulheres, em muitos países; maus tratos aos mendigos; corrupção nos tribunais e nos nossos governos; ignorância contra os homossexuais; intolerância com as outras religiões etc. Esses são alguns aspectos negativos que podem ser elencados para mostrar a força do Anti-Reino. Aqueles que não querem o projeto de amor pregado por Jesus fazem as obras citadas acima!

Que são Filipe e são Tiago, juntamente com Tomé, sejam exemplos no seguimento do Caminho de Amor: Jesus Cristo!

 

Fr. José Luís Queimado, CSsR -

Nasce da água e do Espírito - Padre Queiroz


Segunda-feira, 02 de Maio de 2011

Evangelho - Jo 3,1-8

 

Se alguém não nasce da água e do Espírito, não pode entrar no Reino de Deus.

Este Evangelho narra o começo da conversa de Jesus com Nicodemos. Ele foi ter com Jesus à noite, atitude própria de quem tem uma fé fraca e imperfeita e por isso não quer se comprometer nem que sua fé se torne pública.

Ele começou dizendo: "Rabi, sabemos que vieste como mestre da parte de Deus. De fato, ninguém pode realizar os sinais que tu fazes". Sinais são os milagres e todas as atitudes de Jesus que superam o natural. Nicodemos conhecia esses sinais, sabia que Jesus veio de Deus, mas nem por isso decidiu ser discípulo de Jesus.

Jesus explica-lhe com paciência: "Se alguém não nasce do alto, não pode ver o Reino de Deus". Em outras palavras, para ver o Reino de Deus, a pessoa precisa mudar radicalmente a sua vida. Precisa ter uma fé tão forte que a leve a mudar o eixo de sua vida, transformar-se em todas as dimensões: pensar, agir, valores, direcionamento da vida, afetos, mentalidade, relacionamentos... Em outras palavras, precisa nascer de novo. Isso acontece em nós no nosso batismo. Por isso que o padre, após batizar a criança, diz: "N., nasceste de novo e te revestiste de Cristo". Só mais tarde, com a ajuda dos pais e da Comunidade, a criança vai entender o que aconteceu com ela no batismo.

A pessoa batizada não é mais da terra, mas "do alto", é de Deus. É o que fala o evangelista João: "Estes foram gerados não do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus" (Jo 1,13).

Pelo batismo somos incorporados em Cristo e feitos um com ele, tanto na sua vida como na sua morte. Aqui está o sentido da vida do cristão; ela não se explica em si mesma, mas em relação a Cristo.

Como o vento que sopra onde quer, assim é todo aquele que nasceu do Espírito. Se os meteorologistas quisessem dominar o vento, seria muito difícil. Mais difícil ainda é dominar o Espírito Santo. Para o Espírito não há obstáculos.

Mas se estiver atentos aos sinais da presença do Espírito, podemos ouvir a sua voz. Ele nos guiará para onde ele quer, não para onde nós queremos. E o sinal de que nascemos "do alto" segundo o Espírito é vivermos a Palavra de Deus, como fizeram os Apóstolos.

Crer na ressurreição de Cristo é saber que ele está vivo junto conosco e experimentá-lo agindo conosco, no nosso esforço de viver a vida nova.

Certa vez, em um mosteiro, o mestre chamou um noviço e lhe disse: "Por favor, vá ao córrego e traga água nesta peneira". E entregou uma peneira toda empoeirada para ele. Credo! Pensou o moço – trazer água numa peneira? Mas obedeceu. Foi ao córrego, afundou a peneira na água, depois levantou e a trouxe toda vazia, claro. Chegou à frente do mestre e lhe disse: "Sr. Padre, não consegui trazer a água. Vazou toda nos buraquinhos da peneira".

"Volte – disse o mestre – e tente de novo." Pronto – pensou o jovem – repetir esse absurdo? Mas vou. Mandou, está mandado. Foi ao córrego, afundou novamente a peneira na água e a levou vazia ao mestre. Este disse: "Por favor, vá de novo ao córrego e traga água nesta peneira". Vou passar o dia todo fazendo esse absurdo? Pensou o rapaz. Mas vamos ver onde vai acabar isso. Foi e repetir o mesmo gesto.

Na volta, inclinou-se novamente diante do mestre, como é costume nos mosteiros, e repetiu a mesma frase de sempre: "Sr. padre, não consegui trazer a água; vazou toda quando levantei a peneira".

Então o mestre disse: "Você não trouxe água, mas lavou a peneira".

"O vento sopra onde quer." Muitas vezes nós obedecemos a Deus, sem saber o sentido do gesto. Mas a nossa fé nos ensina que tudo o que manda é bom. Se não entendemos agora, compreenderemos mais tarde.

Que diferença entre a fé que tinha Nicodemos e a de Maria Santíssima! Ela uma simples escrava do Senhor, não duvidava de nenhuma de suas palavras. Que ela interceda por nós a fim de que, neste tempo pascal, possamos nascer de novo com Cristo ressuscitado.

Se alguém não nasce da água e do Espírito, não pode entrar no Reino de Deus.

Padre Queiroz

– Coragem. Eu venci o mundo. Confie em Deus - Sal

6 de Junho 

Evangelho - Jo 16,29-33

Eis que vem a hora - e já chegou - em que vos dispersareis, cada um para seu lado,
e me deixareis só. Mas eu não estou só; o Pai está comigo.

            Reparou que acontece a mesma coisa com os pais?  Os filhos se casam, se dispersam e os pais no entardecer da  vida se vêem sozinhos em casa, a qual fica grande e tristemente silenciosa com a falta dos filhos. Não mais aquela agitação, não mais a correria para não se atrasarem, nem as brigas ou discussões porque um usou o desodorante do outro, nada mais. Só silêncio! O relógio continua debitando as horas que ainda restam de vida na Terra.  

            Mas eu não estou só; o Pai está comigo, disse Jesus. Meus irmãos. Não existe solidão se estamos na companhia de Jesus. Naquele momento em que todos saem de casa, cada um vai cuidar da sua vida, e você que já está no fim da vida não pode atrapalhar ninguém, não pode exigir que não lhe deixem só. Mas você não está só. Ou está?  Porque se você está com Deus, com o Espírito Santo e com Jesus, não pode haver sentimento de solidão. Pelo contrário, a sua pessoa está na melhor companhia que pode haver.

            "No mundo, tereis tribulações. Mas, tende coragem! Eu  venci o mundo!'  Sem Deus, as tribulações do mundo são difíceis de serem suportadas. Com Deus, tudo tem solução, tudo é suportável.  Todos temos problemas. A diferença é que quem não está com Deus, vai se afundando cada vez mais nos problemas existenciais, de forma que até parece uma areia movediça, que quanto mais a pessoa se mexe, mas afunda nela. Ao contrário, aquele ou aquela que está com Deus, que permitiu que Jesus governe a sua vida, também terá problemas, porém, contará com a ajuda de Deus na solução dos mesmos.

            Jesus não engana seus discípulos quanto aos problemas que irão enfrentar neste mundo. Porém, Ele promete o Espírito Santo defensor e protetor, e hoje nos diz para termos coragem, pois ele venceu o mundo. Isto significa que se Ele venceu o mundo, quem confiar nele também vencerá as adversidades deste mundo.

            Caro leitor: diante das dificuldades em vez de xingar, de blasfemar, de se revoltar, de partir para a violência, recorra ao poder infinito de Deus através da oração. Peça com fé e você vai receber as graças que mais está precisando para atravessar aquele túnel da sua vida. Não há mal que perdure, tudo são fases, e Jesus terá a alegria de atender os seus pedidos de socorro. Portanto, não fique aí parado(a), vai logo falar (rezar) com Ele.

Sal.

 

 

"EU SOU O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA"! - Olívia Coutinho

 

03  de Maio de 2011

 

Evangelho - Jo 14,6-14

 

É caminhando, que crescemos na fé!

É buscando Jesus, que encontramos a felicidade Plena! 

Hoje, a Igreja celebra a festa dos apóstolos Felipe e Tiago.

E nesta festa, jesus, mais uma vez, nos deixa claro  que Ele é o único caminho que nos leva ao Pai!

É no Cristo ressuscitado que está  o fundamento de nossa fé, a verdade que nos tras alegria e esperança!

Jesus é a revelação do Pai, e aos poucos vamos  compriendendo quem Ele é!

A fé no Cristo ressuscitado é um processo, vai crescendo  gradativamente e quando percebemos, já estamos tão envolvidos com Ele, que não vemos mais sentido na vida, longe Dele!

Um dia, alguém nos falou de Jesus, pode ter sido os nossos pais, avós, catequista... Mas a nossa opção por Ele, só acontece depois do nosso encontro pessoal com Ele!

Só quem faz a experiencia de Jesus em sua  vida, pode  dizer que O conhece!

Mas não basta somente  conhecê-Lo, é preciso tornar seu discípulo, assumir  a  Sua causa, carregando Sua bandeira caminhando neste chão duro, com o olhar voltado para o alto!

 A  f é,  é  caminhada, é compromisso, é partilha, é ver além do horizonte!

 Uma fé só de emoções, não  produz frutos, não sobrevive aos vendavais da vida, pois  não tem raizes  que a sustente!

É importante estarmos sempre unidos a Jesus, sem Ele, caimos no vazio, pois Ele é o único alimento que nos sustenta durante nossa  caminhada terrestre!

O Evangelho de hoje, nos mostra  a paciencia de Jesus com os seus Apóstolos naqueles seus  dialogos  com eles! Jesus procurava formá-los, para que eles  tivessem idéias claras sobre sua pessoa, sua missão e o sentido da Sua presença no mundo! Era preciso prepará-los bem, para que  eles pudessem, apesar de suas fragilidades, passar adiante importantes ensinamentos!

 E é graças a esta paciencia, a estes empenhos de Jesus, que nós desfrutamos hoje, das riquezas de seus ensinamentos!

A visão do Pai era a coisa mais desejada pelos discípulos! E bastaria somente que eles dessem um passo a mais na fé, para descobrirem na pessoa de Jesus, o rosto do Pai, ali, tão próximo deles.

Contemplar Jesus é a única forma de ver a face de Deus Pai! Não por meio de conhecimento intelectuais, mas pelo conhecimento e pela experiência das obras realizadas por Jesus, que são as obras do Pai!

As primeiras palavras do Evangelho de hoje, nos mostra a resposta de Jesus a uma pergunta  feita pelo  apóstolo Tomé: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim"!

Esta resposta de Jesus,  também é dirigida a todos nós, são palavras que nos torna claro qual é a vereda autêntica que nos leva a felicidade Plena!

A Luz verdadeira é aquela que nos conduz pelo caminho da salvação, só Cristo pode nos conduzir ao Pai, poristo, Ele é a luz do mundo e a fonte da vida!

Seguir esta luz, é caminhar para um Reino que não tem fim!

 

JESUS ONTEM, HOJE E SEMPRE!

 

Olívia Coutinho