BOM DIA

BEM VINDOS AOS BLOGS DOS

INTERNAUTAS MISSIONÁRIOS

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS, MAS RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES. CRISTÃS OU NÃO.

CATEQUESE PELA INTERNET

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PESQUISAR NESTE BLOG - DIGITE UMA FRASE DE QUALQUER EVANGELHO

Carregando...

26 de jun de 2010

JESUS CURA UM PARALÍTICO

1º DE JULHO

Evangelho - Mt 9,1-8

A multidão glorificou a Deus, por ter dado tal poder aos homens.

Este Evangelho narra Jesus curando um paralítico em duas etapas. Primeiro ele diz:“Coragem, filho, os teus pecados estão perdoados!” Como alguns duvidaram, ele disse ao paralítico: “Levanta-te, pega a sua cama e vai para a tua casa”. E o homem, na hora, ficou completamente curado, pegou a sua cama e foi para a sua casa.

“Vendo a fé que eles tinham.” Jesus se admirou da fé, do paralítico e das pessoas que o traziam, e deu o paralítico o melhor que ele podia dar: a cura da alma. De fato, a cura da alma é mil vezes mais importante do que a cura do corpo. O corpo um dia vai ficar doente de novo, e morrer. Agora, a alma não.

“Esse homem está blasfemando.” Não vamos pensar mal das pessoas, especialmente daquelas que estão fazendo o bem. Quem não ajunta, pelo menos que não espalhe!

“Para que saibais que o Filho do Homem tem na terra poder de perdoar pecados – disse então ao paralítico – “Levanta-te...” Jesus curou o corpo para provar que tem poder de curar a alma.

Hoje, a presença de Jesus na terra está multiplicada. Ele está em todas as Comunidades cristãs e em todos os sacrários que têm as hóstias consagradas. E Jesus está aí presente, não só com a mesma força e poder, mas também agindo da mesma forma. As Comunidades continuam realizando esses dois milagres de Jesus: a cura da alma e a cura do corpo. A cura da alma supera tanto a cura do corpo quanto a vida eterna supera esta nossa breve vida material. Mas se as Comunidades se dedicarem só à cura da alma, o povo não acredita. Curando também o corpo, aí sim, a presença de Jesus está completa.

Na multiplicação dos pães aconteceu a mesma coisa. Jesus queria dar-nos a Eucaristia, mas antes multiplicou pães.

As Comunidades cristãs são como um barco atravessando o mar da vida. Esse barco tem dois remos: o serviço espiritual ao homens e o serviço matéria, a cura do corpo e a cura da alma. Sem esses dois remos, a Comunidade ficaria rodando em volta de si mesma, sem ir para frente.

“É bom para vós que eu vá” (Jo 16,7), disse Jesus aos Apóstolos que estavam tristes ao saberem que ele ia voltar logo para o céu. De fato, em um sentido foi bom: a presença de Jesus na terra foi multiplicada, não mais em seu corpo físico, mas em seu corpo místico.

As Comunidades cristãs e a Eucaristia são frutos do amor de Jesus por nós.

“A multidão glorificou a Deus, por ter dado tal poder aos homens.” Era isso que Jesus queria, e é isso que nós também queremos: buscar a glória de Deus. É para isso que nos propomos a ser “discípulos e missionários de Jesus Cristo, para que nossos povos tenham mais vida nele”. Quando Deus mandou para o povo hebreu o maná, eles tiveram a mesma reação (Cf Dt 8,3).

Nós queremos continuar a presença de Jesus na terra, continuando os dois serviços que ele prestava: a cura da alma e a cura do corpo. Por isso que as Comunidades têm a pastoral social e têm a catequese, os serviços ao Altar, os círculos bíblicos...

Certa vez, um homem ouviu dizer que óleo de fígado de bacalhau era bom para a saúde dos cães. Mais que depressa, ele comprou uma boa quantidade e começou a dar todos os dias uma colher de sopa cheia de óleo para o cachorro. Segurava-lhe firme o focinho, e despejava o óleo em sua boca, enquanto o animal lutava e rosnava. Um dia, o cachorro lutou tanto que acabou se soltando. A colher caiu e o óleo se derramou. Para a surpresa do homem, o cachorro correu e lambeu o óleo derramado no piso. Só então o homem entendeu que o cachorro lutava, não contra o óleo, mas sim contra a maneira de tomá-lo.

Os agentes pastorais distribuem o grande presente que é a Boa Nova de Jesus. Mas devem fazê-lo com métodos adequados aos destinatários e sempre a partir deles.

Maria Santíssima se preocupava com o corpo das pessoas. Vemos isso na visita a Isabel, nas bodas de Cana, junto com o Filho ao pé da cruz... E nos prestou o melhor serviço espiritual que existe: deu-nos o seu Filho. Que ela nos ajude a fazer o mesmo.

A multidão glorificou a Deus, por ter dado tal poder aos homens.

Padre Queiroz

ENVIADO POR VERA LÚCIA

Nenhum comentário:

Postar um comentário