BOM DIA

BEM VINDOS AOS BLOGS DOS

INTERNAUTAS MISSIONÁRIOS

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS, MAS RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES. CRISTÃS OU NÃO.

CATEQUESE PELA INTERNET

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PESQUISAR NESTE BLOG - DIGITE UMA FRASE DE QUALQUER EVANGELHO

15 de set de 2011

As discípulas-Alexandre Soledade




Bom dia!
Ontem fiz uma pergunta: Quem são os que de fato amam a Deus?
Apesar da maioria das narrativas bíblicas haver um nítido predomínio do protagonismo masculino, característica da cultura judaica, esse breve trecho introdutório de Lucas revela a presença de mulheres.
Longe de serem simples mulheres, pois aparecer, destacar-se num cenário masculino revela um grande teor de importância dentro de um grupo social. Notamos que mulheres que foram citadas na bíblia mudaram a história de suas vidas e por vezes do grupo ou comunidade que viviam.
Antes de conhecerem Jesus pertenciam a um grupo seleto chamado deserto. Elas eram “os excluídos” a quem nos referimos comumente nos dias de hoje. Não tinham voz, vez ou fala. A vida devia se vivida conforme o que ia acontecendo; eram meras espectadoras de suas próprias vidas… Jesus então aparece e as promove a protagonistas.
Todo aquele que se aproxima de Jesus começa a compreender que suas vidas merecem muito mais do que o pouco que oferecem ou se dão. Por vezes, nós que estamos a frente, pensamos que somos a última bolachinha do pacote, mas na verdade as grandes pérolas de Jesus não são vistas ou passam desapercebidas aos nossos olhos: São os filhos de Deus no mundo.
Esse povo bom, mesmo sem saber tem a proteção do Altíssimo a lhe guardar. Apesar de apenas acompanhar os apóstolos, (ir a missa de vez em quando, rezar muito pouco,(…) Deus conhece o que já venceram e sua fé.
“(…) Tu que habitas sob a proteção do Altíssimo, que moras à sombra do Onipotente, dize ao Senhor: Sois meu refúgio e minha cidadela, meu Deus, em que eu confio. É ele quem te livrará do laço do caçador, e da peste perniciosa. Ele te cobrirá com suas plumas, sob suas asas encontrarás refúgio. Sua fidelidade te será um escudo de proteção. Tu não temerás os terrores noturnos, nem a flecha que voa à luz do dia, nem a peste que se propaga nas trevas, nem o mal que grassa ao meio-dia. Caiam mil homens à tua esquerda e dez mil à tua direita, tu não serás atingido. Porém verás com teus próprios olhos, contemplarás o castigo dos pecadores, porque o Senhor é teu refúgio. Escolheste, por asilo, o Altíssimo. Nenhum mal te atingirá, nenhum flagelo chegará à tua tenda, porque aos seus anjos ele mandou que te guardem em todos os teus caminhos”. (Salmo 90, 1-11)
Entranho dizer que alguém tão pouco dedicado tenha a máxima atenção do Pai, mas na realidade também fazemos isso… Quantos filhos bons (que não dão trabalho) “sofrem” pela falta de atenção dos pais que dedicam 100% do seu tempo e cuidado a aquele que dá trabalho? Poderíamos até cobrar mais de Deus quanto a isso, mas a sabedoria divina explica ao filho que ficou na parábola do filho pródigo que “(…) Tudo que é meu é seu!”.
Engraçado é que nenhuma das mulheres, pelo menos no que esta escrito, demonstrou falta de fé ou coragem como aqueles que ficavam “agarrados” a Cristo. Pedro quase afogou, Felipe correu; João não quis entrar no sepulcro, e por ai vai… Em que momento essas mulheres desistiram de acreditar? Não encontro referencia…
A maioria das pessoas que ABANDONAM a luta, a igreja, o grupo, a pastoral são aquelas de frente e não aquelas que passeiam. Claro que as aflições são maiores, mas não é “via de regra”. Quantas pessoas em nossas comunidades, que não estão de frente, mas as vemos há anos, nos mesmos lugares nas missas e eventos. Elas não abandonam a Deus com facilidade. Quermesses, novenas, tríduos, festas, (…) lá estão elas. Chovendo? Lá vêm elas de capa! (risos!) Será que também não tem seus próprios problemas e aflições.
Precisamos aprender com o exemplo silencioso daquelas mulheres e desses irmãos perseverantes de hoje a não desistir. Deus nos promove a protagonista para que EU DECIDA não desistir; EU QUEIRA levantar; EU QUEIRA algo melhor…
Um imenso abraço fraterno

Nenhum comentário:

Postar um comentário