BOM DIA

BEM VINDOS AOS BLOGS DOS

INTERNAUTAS MISSIONÁRIOS

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS, MAS RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES. CRISTÃS OU NÃO.

CATEQUESE PELA INTERNET

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PESQUISAR NESTE BLOG - DIGITE UMA FRASE DE QUALQUER EVANGELHO

28 de fev de 2012

Perdoar– Missionários Claretianos



 Sexta-feira, 2 de março de 2012

1ª Semana da Quaresma

Santos do Dia: Chad de Lichfield (monge, bispo), Jovino e Basileu (mártires da Via Latina, em Roma), Lúcio (bispo), Absalão e Lórgio (mártires de Cesaréia de Capadócia), Paulo, Heráclio, Secundila e Januária (mártires do Porto).

Primeira leitura: Ezequiel 18, 21-28
Será que eu tenho prazer na morte do ímpio? Não desejo, antes, que mude de conduta e viva?
Salmo responsorial: 129, 1-8
Se levardes em conta nossas faltas, quem haverá de subsistir?
Evangelho: Mateus 5, 20-26
Vai primeiro reconciliar-te com o teu irmão.

A proposta de Jesus é muito simples, mas exigente e radical. Os escribas e fariseus eram cumpridores estritos da lei. Jesus adverte os seus seguidores a que não sejam como eles. Também não se pode dizer que Jesus não cumprisse a lei. Como bom judeu, assume os preceitos legais de seu tempo.

Porém, Jesus supera a lei. Às vezes a lei é fonte de conflito e geradora de uma seqüência de injustiças e violências. Jesus propõe o rompimento dessa estrutura superando o estritamente estipulado pelo complexo código de justiça da época. O perdão, a reconciliação, a conversa pessoal e esclarecedora diante dos agressores e provocadores, são meios eficazes para romper com os círculos da violência e para gerar um novo processo de reconstrução e reparação dos estragos causados pelo abuso do poder.

Com freqüência encontramos situações de verdadeira violência, gerada pela corrupção e pela injustiça, orquestrada por governantes inescrupulosos. Historicamente essa situação gerou verdadeiros espirais de violência que vai ascendendo progressiva e perigosamente. Nós, seguidores de Jesus, temos a missão de contribuir e romper esse círculo perverso que não deixa a paz acontecer e tira a possibilidade das pessoas viverem um estado de saúde mais pleno.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário