BOM DIA

BEM VINDOS AOS BLOGS DOS

INTERNAUTAS MISSIONÁRIOS

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS, MAS RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES. CRISTÃS OU NÃO.

CATEQUESE PELA INTERNET

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PESQUISAR NESTE BLOG - DIGITE UMA FRASE DE QUALQUER EVANGELHO

16 de mar de 2012

Moisés, no qual colocais a vossa esperança - Pe. Antônio Queiroz CSsR



Quinta-feira, 22 de março
Jo 5,31-47

 
Há alguém que vos acusa: Moisés, no qual colocais a vossa esperança.
Neste Evangelho, Jesus mostra a obcecação e má fé dos judeus, através de vários argumentos contundentes. Eles não seguem nem Moisés (Cf cena do bezerro de ouro na Primeira Leitura), no qual colocam a sua esperança. Assim como Moisés, o próprio Filho de Deus teve de enfrentar a incompreensão e má vontade dos chefes judeus.
“João deu testemunho de mim... mas eu tenho um testemunho maior que do João: as obras que eu o Pai me concedeu realizar.” De fato, as nossas obras são o nosso maior testemunho. Elas falam alto a nosso favor ou contra nós. “É pelos frutos que se conhece a árvore”.
“Vós examinais as Escrituras... no entanto, elas dão testemunho de mim, mas não quereis vir a mim.” A nossa leitura da Bíblia deve ser cercada de humildade, abertura de coração e muita oração, a fim de não colocarmos nela o que ela não diz, ou não entendermos o que ela fala. A pessoa obcecada facilmente torce as palavras da Bíblia, levando-as a dizer aquilo que a pessoa quer.
O certo é que Jesus usou de todos os recursos para evitar que as autoridades fizessem o maior crime da história: matar o Messias, enviado de Deus; mas não adiantou. Jesus resume tudo, dizendo que a razão principal da recusa dos chefes a ele era porque as suas obras eram más. A vida em pecado obscurece a inteligência e torna duro o coração. “Eles preferiram as trevas à luz, porque as suas obras eram más”.
Jesus está presente hoje em sua Igreja una, santa, católica e apostólica. No rosto da Igreja está o rosto de Jesus, assim como no rosto de Jesus está o rosto de Deus Pai. Mas só quem acolhe e observa os mandamentos pode chegar a essa verdade (Cf Jo 14,21).
Jesus teve de suportar a incredulidade e incompreensão dos seus contemporâneos. Igualmente os seus discípulos de hoje têm de enfrentar a incredulidade e má vontade do povo. De tanto “bater em ferro frio”, muitos líderes sentem a tentação do desânimo e do pessimismo. Mas isso é esquecer a história; todos os tempos foram assim, desde Jesus.
Que nessa quaresma pelo menos nós nos convertamos e nos tornemos seguidores mais fiéis do crucificado.
Certa vez, um bêbado encheu demais a cara, aprontou umas bagunças e foi preso. Entrando na cadeia, ele viu uma imagem de S. José e começou a zombar. O soldado falou: “Cuidado, respeite. Ele é esposo de Maria e pai de Jesus”. No outro dia ele foi solto.
Na semana seguinte, ele encheu de novo a cara e desta vez ficou mal e foi levado para o hospital. Lá, ele viu uma imagem de Nossa Senhora e começou a zombar. A enfermeira falou: “Cuidado, respeite. Ela é esposa de José e mãe de Jesus”. No dia seguinte, ele teve alta.
Dias depois, ele estava andando na rua e viu a procissão de Corpus Chisti. Uma enorme multidão cantando e dando vivas a Jesus. No meio, ia o padre segurando o hostensório com a hóstia consagrada. Ele começou a rir e a zombar.
Um senhor ouviu e lhe disse: “Cuidado, respeite. Ele é Jesus, filho de Maria e de José”. Então o bêbado disse: “Onde já se viu? O pai na cadeia, a mãe no hospital e ele aqui na rua fazendo festa?”
Nós estamos nos preparando para celebrar, não a festa de Jesus, mas a sua injusta condenação, prisão, torturas, morte e ressurreição. Tudo isso fruto da incredulidade do povo de ontem e de hoje.
Cuidado! Não vamos deixar passar mais esta graça, esta presença de Deus em nossa vida, pedindo-nos a conversão.
Campanha da fraternidade. O povo brasileiro tem um sonho de ser um povo harmonioso, sem preconceitos de raça ou de cor, e de que as pessoas sejam valorizadas pelo que são, não pela nacionalidade. Este sonho não encontra correspondência na realidade, o que é percebido principalmente pelos que sofrem as discriminações. A melhor maneira de não resolver um problema, ou de agravá-lo, é fingir que ele não existe. E essas discriminações geram violência.
Maria Santíssima falou pouco, mas a sua vida foi um testemunho tão forte que se tornou a maior colaboradora do seu Filho na redenção. Que ela nos ajude a testemunhar sempre a nossa fé.
Há alguém que vos acusa: Moisés, no qual colocais a vossa esperança.


Nenhum comentário:

Postar um comentário