BOM DIA

BEM VINDOS AOS BLOGS DOS

INTERNAUTAS MISSIONÁRIOS

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS, MAS RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES. CRISTÃS OU NÃO.

CATEQUESE PELA INTERNET

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PESQUISAR NESTE BLOG - DIGITE UMA FRASE DE QUALQUER EVANGELHO

25 de mar de 2012

“Quem é Jesus?” - Claudinei M. Oliveira




Terça – feira, 27 de Março de 2012
Evangelho: Jo 8, 21-30

            No Evangelho de hoje Jesus está diante dos judeus falando da falta de fé e da crença no Filho do Homem. Jesus pregou a todos à conversão dos pecados e à construção de um novo Reino de justiça durante sua vida pública. Mas os judeus poderosos não acreditaram nas palavras de Jesus e desconfiavam de sua conduta, portanto ainda não sabiam quem era Jesus.
            Os judeus e alguns poderosos não queriam  viver a realidade da qual Jesus falava. A vida dos privilegiados era conduzida e feita sob as costas dos pequenos. Criaram uma cultura opressora que não  permitia  aos pobres sobressaírem da condição subalterna, fazendo com que os mesmos permanecesse na marginalidade.  Entretanto, Jesus ressaltava a libertação como pano de fundo para a igualdade dos irmãos, porém esta tese afrontava os domínios dos poderosos.
            Jesus fala firmemente para os judeus que ao ser levantado na cruz muitos passariam acreditar que Ele era realmente o Filho do Deus-Vivo. Esperava que não fosse tarde demais para pedir perdão dos seus pecados. Na missão de Jesus contemplava a misericórdia de Deus e o perdão dos erros cometidos para que a alma pudesse gozar a vida eterna no céu, isso somente aconteceria se o homem terreno fosse capaz de compreender e viver em dignidade a solicitude do amor. Talvez a morte de Jesus fosse a libertação necessária dos céticos.
            O fosso existente entre os judeus e Jesus era gigantesco. Enquanto Jesus buscava reunir o povo para a vivência perfeita da paz e da unidade, os judeus imprimiam leis severas para retirar ainda mais donativos dos pobres. Jesus, filho de Deus, enviado para cumprir a promessa do passado, os judeus cultuavam doutrina feita para dissimular a dicotomia entre o bem e o mal. Se não olharmos clinicamente até nos convençamos de que os judeus tinham razão nas suas apelações.
            Como reconhecer em Jesus o Filho Amado de Deus se o coração esta fechado para novas atitudes libertadoras? Como enxergar em Jesus o mundo novo se a fé é pequena e avarenta? Como seguir os passos de Jesus se os caminhos traçados são distintos e tendenciosos?
            Nosso Deus ainda nos pede coerção para vida nova. Nosso Deus ainda implora para que vivamos a fraternidade em sociedade. Mas fazemos de conta que Ele nos pede e nem damos bola. Somos autossuficiente na vida terrena e só pediremos socorro quando não temos mais o que fazer para livrar do mal. Corremos atrás de nosso Deus com orações e implorando por uma cura e/ou por  sua intervenção. Mas porque não procurou antes? Por que deixou para o último instante?
            Portanto, Jesus é. Ele foi o que fez, o que semeou e o que plantou. Para que duvidar da suas ações e do seu gesto concreto de vida. Para conhecer Jesus é preciso mergulhar nas ações de libertação do povo que sofre; viver as mágoas e os sofrimentos dos irmãos abandonados; ser prestativo e acolhedor com todos os filhos de Deus.
            Vivamos a fraternidade de Nosso Deus nesta Quaresma e buscamos a conversão de nossas faltas para vivermos a dignidade no céu. Amém!
            Abraços. Claudinei M. Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário