BOM DIA

BEM VINDOS AOS BLOGS DOS

INTERNAUTAS MISSIONÁRIOS

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS, MAS RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES. CRISTÃS OU NÃO.

CATEQUESE PELA INTERNET

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PESQUISAR NESTE BLOG - DIGITE UMA FRASE DE QUALQUER EVANGELHO

19 de mar de 2012

Um homem santo - Alexandre Soledade


Alexandre Soledade


Bom dia!
Reparem a mudança drástica na dinâmica da quaresma para celebrar a memória de um homem santo – José.
José não foi santo por ter sido pai adotivo de Jesus, mas por ter aceitado a grande responsabilidade de criá-lo e educá-lo; não foi santo por ser esposo de Maria, mas por ter abraçado com ela a felicidade de ser a escolhida; não foi santo por ser ator principal de um momento como Davi, Moisés, Jacó, Abraão, (…), mas por humildemente ficar no backstage (ou camarim), vendo seu filho crescer em estatura e em sabedoria (Sugestão: Veja também o outro evangelho proposto para hoje Lucas 2, 41-51).
“(…) E Jesus crescia em estatura, em sabedoria e graça, diante de Deus e dos homens”. (Lucas 2, 52)
José: O “protetor da igreja católica”
Não era seu problema, não era sua luta, não era seu filho, mas abraçou o problema como seu; arregaçou as mangas, levou sua família para o Egito, lutou por eles; ao filho adotivo ensinou a arte da carpintaria, mesmo que hoje relatos arqueológicos digam que ele poderia ter sido pedreiro; ensinou a lei, o respeito as tradições e o valor de ser e ter uma família.
O problema que tinha em seus braços era a própria igreja que temos hoje. Ela, na pessoa de Jesus, um bebê indefeso, filho de uma jovem moça consagrada ao templo que segundo os costumes poderia ter sido apedrejada (lapidada). Quantos ainda hoje aproveitam as fragilidades humanas dentro da nossa igreja para também atacá-la com pedras? No passado o passado da inquisição, hoje as fraquezas da carne, amanhã o que virá? Quantos dragões ainda deverão ser vencidos?
“(…) Varria com sua cauda uma terça parte das estrelas do céu, e as atirou à terra. Esse Dragão deteve-se diante da Mulher que estava para dar à luz, a fim de que, quando ela desse à luz, lhe devorasse o filho. Ela deu à luz um Filho, um menino, aquele que deve reger todas as nações pagãs com cetro de ferro. Mas seu Filho foi arrebatado para junto de Deus e do seu trono. A Mulher fugiu então para o deserto, onde Deus lhe tinha preparado um retiro para aí ser sustentada por mil duzentos e sessenta dias. Houve uma batalha no céu. Miguel e seus anjos tiveram de combater o Dragão. O Dragão e seus anjos travaram combate”. (Apocalipse 12, 4-7)
José: O “padroeiro das famílias”
Enquanto os anjos lutavam contra o dragão, na perspectiva e visão de João Evangelista, José era a proteção mais próxima de Maria e do Jovem Senhor. Nossos pais devem entender nessa mensagem a grande missão que existe na paternidade: Ser a pessoa mais próxima e responsável pela segurança de sua família.
Zelar pela segurança hoje é ensinar valores, ser exemplo, participar, acompanhar, (…), pois os dragões que enfrentamos hoje têm sete cabeças; As drogas, a violência, o abandono, o abuso, a intolerância, o desamor e a falta de fé.
Acho profundamente descabido a frase que “Deus não é padrasto”, pois sob a guarda de um que ele deixou seu bem mais valioso. Esse deve ser um grande alerta aos pais que hoje não se comportam como pais e vem de suas poltronas seus filhos sendo presos, frequentando locais inadequados a sua idade, chegando em casa tarde e embriagados; jogarem fora sua perspectiva de futuro para ficar brigando nas praças e postarem a rinha de galos no Youtube. (…). Ser pai é ter coragem de ir ao deserto para salvar seu filho.
José: O “padroeiro dos trabalhadores”
Ser pai, ser um José é ser tudo isso e ainda por cima ir a luta para manter a casa e a condição de vida. É acordar cedo pra ir para o escritório ou vender frutas; abrir a loja ou catar latinhas, (…). Não importa aonde, mas que vá a busca de algo seguro e confiável, para que no futuro, como José, possa ver seus filhos crescerem na graça e sabedoria e no fim repousar sobre a sombra do altíssimo, como mais um José que alcançou o paraíso e recebe, na sua nova morada, o título de santo e bom pai.
Valei-me São José!
Um imenso abraço fraterno.

Nenhum comentário:

Postar um comentário