BOM DIA

BEM VINDOS AOS BLOGS DOS

INTERNAUTAS MISSIONÁRIOS

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS, MAS RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES. CRISTÃS OU NÃO.

CATEQUESE PELA INTERNET

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PESQUISAR NESTE BLOG - DIGITE UMA FRASE DE QUALQUER EVANGELHO

5 de abr de 2012

" Matias, indicado pela Igreja, escolhido por Jesus..." - Diac. José da Cruz


14 de maio - Segunda Feira - São Matias Apóstolo

Evangelho João 15, 9-17

                                              

Este evangelho é o mesmo de ontem, que foi o 6º Domingo da Páscoa, isso porque é  festa de São Matias, que pertencia ao grupo dos 70 discípulos e que conforme relato do Ato dos Apóstolos, foi escolhido pela comunidade dos discípulos para ser apóstolo e testemunha da ressurreição do Senhor.
Nos relatos de Atos a respeito da escolha de Matias, o fato de se ter tirado a sorte entre ele e um certo José, chamado Barrabás, pode parecer estranho, afinal era um jogo de azar para decidir algo tão sério e sagrado: fazer parte do grupo dos doze. Claro que hoje não se tira a sorte para ver quem vai ser Padre, Diácono ou religioso, ou para exercer os ministérios dos Leigos. Ocorre que para o povo judeu era algo comum Deus se servir do acaso para manifestar a sua vontade e por isso, em certas decisões na comunidade, se usavam gravetos, pedrinhas marcadas como a Urime e Tumim.
Na verdade em Atos, no episódio da escolha de Matias, é a última vez que se usa dessa prática para se saber a vontade de Deus, pois a partir daí, o Espírito Santo foi derramado na Igreja e no coração de todos os que crêem, então o Espírito manifesta claramente a vontade Divina e ninguém precisa mais tirar a sorte para saber o que Deus quer. Mas pior do que isso são os cristãos do nosso tempo, que menosprezando a ação do Espírito Santo, quando estão diante de uma encruzilhada da vida, consultam horóscopo, cartomante, cartas de tarô, Búzios e outras besteiras mais que inventaram. Fique bem claro que Deus não aprova e não usa desses recursos para revelar a sua santa vontade...
Mas o evangelho fala algo que também nos faz pensar, "Não fostes vós que me escolhestes mais eu é que vos escolhi...". Na pastoral vocacional esse chamado de Deus, esse apelo  que Deus faz através de sua graça, é o ponto inicial de qualquer vocação...". É a resposta que damos a alguém que nos procura porque sente o desejo de ir para o seminário, ou de ser Diácono, ou até mesmo de exercer algum ministério leigo na comunidade. É preciso que Deus chame!
E como é que Deus vai chamar, como vamos saber que é Ele mesmo que está nos chamando ? Como saber distinguir aquilo que é a nossa vontade humana e a vontade de Deus? Aqui é que entra a autoridade da Igreja, que conduzida pelo Espírito Santo nos ajuda a discernir. Quando Samuel foi chamado por três vezes, foi o Sacerdote Eli que o ajudou a discernir que o Senhor o chamava, com Matias foi a mesma coisa, a comunidade entrou  em clima de oração para saber qual era a vontade de Deus. Qualquer vocação e qualquer chamado apresenta três aspectos que a tornam autêntica. Primeiro, que o vocacionado tenha no coração não só o desejo, mas a disponibilidade para servir a Deus, foi o que Eli recomendou a Samuel "Fala Senhor, que o teu Servo escuta...", segundo, a comunidade têm necessidade daquele serviço ou ministério, e aí podemos evocar a visão de Ezequiel, Deus preocupado dizendo com seus botões "A quem enviarei para esse serviço?", e em terceiro, que haja um convite ou um chamado que ajude o vocacionado a discernir....
Enfim, São Matias fez toda essa trajetória, com humildade, paciência e confiança, não caiu no desânimo quando não foi selecionado para o apostolado junto com os doze que Jesus escolhera, também não torceu para que alguém do grupo "pisasse na bola" para ele ter a sua chance, e quando Jesus morreu, mais ainda que Matias acreditou e jamais enterrou o seu sonho, que agora se realiza, sendo que ele apenas vai ser ratificado pelo grupo, como uma testemunha fiel de Jesus, desde o seu Batismo por João, até a ressurreição.
A perseverança no amor é a palavra chave em qualquer vocação, por isso é o tema central desse evangelho de João, uma das primeiras testemunhas de Jesus, tocado por este amor que entra pelo coração mas que se clareia na razão, tornando-=se a prática cristã essencial nas nossas comunidades.





Nenhum comentário:

Postar um comentário